Fernando presta homenagem a Eduardo Campos na estreia do guia eleitoral

O candidato ao Senado pela Frente Popular, Fernando Bezerra Coelho (PSB), estreou nesta terça-feira no guia eleitoral de rádio e TV.

Na abertura da propaganda política Fernando fez uma homenagem a Eduardo Campos.

Chorando, Fernando relembra momentos ao lado de Eduardo e Miguel Arraes. A ex-primeira dama, Renata Campos, também aparece no programa, lendo trecho de uma carta em que convoca a militância.

Fonte: Blog do Jamildo.

Comentários

Site pode ajudar eleitores a “investigar” dados sobre candidatos

Sem títuloO promotor de Justiça, Júlio César Soares Lira, entrou em contato com o Blog para chamar atenção dos eleitores sobre uma importante ferramenta de pesquisa que já está disponível a quem deseja “investigar” a vida dos candidatos.

Segundo ele, o ‘Transparência Brasil’ colocou à disposição um link, ‘Quem Quer Virar Excelência nas Eleições de 2014’, o qual contem informações históricas sobre todos os candidatos que disputarão mandato eletivo este ano.

Além dos dados fornecidos pelo próprio candidato ao TSE (como grau de instrução, idade, ocupação etc.), o link apresenta também informações relativas a histórico das eleições das quais tenha participado desde 2002; cargo disputado; partido; número de votos e receita; doadores da última eleição da qual participou; se pertence a alguma de diversas categorias (empresários, religiosos, funcionários públicos), entre outros dados.

Para candidatos à Presidência da República, aos governos estaduais, bem como àqueles que se habilitam ao Senado e à Câmara dos Deputados, a consulta traz ainda cargos públicos ocupados no passado; formação, experiência profissional e participação em entidades de classe; parentescos políticos; eventuais ocorrências na Justiça e nos Tribunais de Contas. O endereço do site é o http://www.excelencias.org.br/quemquer/.

Blog do Carlos Britto

 

Comentários

Humberto crê que Dilma Rousseff vai “ganhar bem” a eleição

Humberto Costa - foto agência senado

O senador Humberto Costa, coordenador regional da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT), disse hoje (20) no Recife que ela tem todas as condições de “ganhar bem” as próximas eleições.

“Vamos apresentar ao Brasil tudo o que foi feito pelo governo Dilma e a maioria dessas ações não são de conhecimento da população. Além disso, vamos poder mostrar o nosso ponto de vista sobre diversos assuntos. Com o guia eleitoral, iremos falar sobre nossas propostas e dizer à população o que serão mais quatro anos do PT. Com isso temos convicção de que temos condições de ganhar, e ganhar bem a eleição”, afirmou.

O senador também confirmou a visita que a presidente Dilma fará a Pernambuco nesta quinta-feira (20).

Na agenda da presidente, estão previstas visitas às obras da transposição do rio São Francisco nos municípios de Cabrobó e Floresta, no Sertão de Pernambuco.

Será, portanto, uma visita de natureza eleitoral, e não administrativa, motivo pelo qual o governador João Lyra Neto não irá recepcioná-la.

Fonte: Blog do Inaldo Sampaio

Comentários

Prefeitura de Cabrobó instala câmeras de monitoramento

auricelio torres - divulgação

O prefeito do município de Cabrobó, Auricélio Torres(PSB), anunciou nesta quarta-feira (20) a instalação de câmeras de monitoramento em pontos estratégicos da cidade.

Os equipamentos ainda estão em fase de teste. Mas, segundo o subcomandante da 2ª Companhia Integrada da Polícia Militar, Marcondes Ferraz, as câmeras poderão contribuir para o trabalho de policiamento em diversos bairros da cidade.

 

 

DSC08411“Este é um trabalho que já ocorre em capitais, cujos resultados são muito positivos porque ajuda muito o trabalho da polícia. O monitoramento das câmeras nós colocamos na central de operações, que é onde recebemos as chamadas e dali poderemos visualizar pontos importantes como a Câmara de Vereadores, uma boate movimentada da cidade, além dos bancos e casas comerciais”, disse o militar.
Acrescentou que as câmeras possuem um controle giratório e de “zoom”, o que facilita a visualização.

“São equipamentos que têm um controle giratório, que nos permite uma visão ampla (da área monitorada). Além disso, poderemos observar a situação do trânsito porque com o ‘zoom’ poderemos verificar se houve infração e identificar as placas do veículos”, disse o subcomandante.

Segundo o presidente da Câmara de Diretores Lojistas (CDL), Maxwel Cavalcanti, a entidade mobilizou os seus associados para firmarem uma parceria com a Prefeitura para aumentar o número de câmeras na cidade.

 Fonte: Blog do Inaldo Sampaio

 

Comentários

Coligação que apoia Armando critica decisão que a impede de usar imagens de Eduardo Campos

Armando Monteiro Neto - foto ana luiza souza - divulgaçãoA coligação “Pernambuco vai mais longe”, que apoia o senador Armando Monteiro (PTB) para o Governo do Estado, criticou nesta quarta-feira a decisão do desembargador eleitoral Alfredo Hermes Barbosa, que por sentença liminar a proibiu de fazer uso das imagens do ex-governador Eduardo Campos.

Anteontem, o também desembargador José Ivo Guimarães havia negado o pedido da viúva Renata Campos e dos seus cinco filhos alegando tratar-se de “censura prévia” o que seria vedado pela Lei das Eleições.

Leia, abaixo, a íntegra da nota da coligação:

I)    Foi com indignação que os integrantes da coligação Pernambuco Vai Mais Longe (PTB, PDT, PT, PSC, PRB e PTdoB) receberam a decisão monocrática, proferida por um desembargador do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE), de vetar a utilização de quaisquer imagens ou áudios do ex-governador Eduardo Campos.

II)    Esta decisão, de forma insólita, tornou inválidas outras duas já tomadas. Uma de forma monocrática e outra colegiada, e que rejeitavam qualquer tentativa de censura prévia, tendo em vista que não há qualquer intenção de distorcer fatos ou desabonar a honra e a trajetória do ex-governador Eduardo Campos.

III)    É lamentável que a propaganda eleitoral em Pernambuco seja inaugurada sob o signo da censura prévia, da afronta à liberdade de expressão, ferindo princípios basilares do Estado Democrático de Direito.

IV)    A coligação “Pernambuco Vai Mais Longe” tem a certeza de que o Tribunal Regional Eleitoral, dentro de sua tradição consolidada de assegurar os princípios norteadores do regime democrático, seguramente corrigirá esse equívoco quando do julgamento do Agravo Regimental, permitindo que o povo pernambucano possa livremente se manifestar, sem sofrer qualquer tipo de censura em suas convicções.

V)    Com as iniciativas que tomou nos últimos dias, a coligação adversária tenta assegurar a apropriação meramente partidária ou de facção política de uma figura pública, cuja trajetória pertence a toda a sociedade.

VI)    É preciso que a Frente Popular aprenda com as palavras da própria Marina Silva, agora candidata à Presidência da República, que, de forma lúcida, sublinha a diferença entre legado e herança.

VII)    Afirma Marina Silva: “Nosso esforço, de todos os brasileiros, independente de partido, é de que seu esforço, sua trajetória, sua insistência em renovar a política não seja tratada como herança, onde cada um pega um fragmento do despojo, mas que seja tratado como um legado, em que quanto mais pessoas puderem se apropriar dele, melhor fica”.
Recife, 20/08/2014.

Fonte: Blog do Inaldo Sampaio

Comentários

Primeiro ato da campanha de Marina será em Pernambuco

mauricio-rands- foto BRIZZA CAVALCANTE-AGÊNCIA CÂMARA

O ex-deputado Maurício Rands (PSB-PE), um dos coordenadores do programa de governo de Marina Silva (PSB) à Presidência da República, disse hoje (20) em São Paulo que o primeiro ato de campanha dela deverá ocorrer em Pernambuco no próximo domingo, dia 25.

De acordo ainda com o ex-deputado, o programa de governo de Marina é o mesmo de Eduardo Campos e tem exatas 240 páginas.

O programa foi sistematizado pelo próprio Maurício e a socióloga Neca Setúbal, filha do ex-banqueiro Olavo Setúbal e indicada por Marina Silva.

Rands informou também que o programa terá uma “versão simplificada” com apenas 24 páginas.

Nele, estão sintetizados todos os compromissos assumidos por Eduardo Campos durante os meses em que esteve como candidato à sucessão da presidente Dilma Rousseff: aplicação de 10% do PIB na área de saúde, escola integral para todos, passe livre para todos os estudantes da rede pública, redução do número de ministérios, etc.

Fonte: Blog do Inaldo Sampaio

Comentários

PSB confirma o nome Marina para o lugar de Eduardo Campos

Eduardo Campos fala durante convenção conjunta do PMDB, PSDB e PSB em Teresina, no Theresina Hall, que confirmou a chapa encabeçada pelo governador Zé Filho (PMDB), e Silvio Mendes (PSDB) como candidato a vice-governador e Wilson Martins (PSB) candida

A coligação “Unidos pelo Brasil” (PSB, Rede, PPS, PPL, PRP e PHS), que apoiava Eduardo Campos para presidente da República, confirmou na noite desta quarta-feira, em Brasília, a candidatura de Marina Silva para substituí-lo e a do deputado federal Beto Albuquerque (RS) para a vaga de vice.
Hoje, foi entregue à ex-senadora um documento com a síntese dos compromissos assumidos por Eduardo Campos redigido pela senadora Lídice da Mata (PSB-BA), a deputada Luiza Erundina (PSB-SP) e o presidente nacional do partido, Roberto Amaral.

Marina se comprometeu com todos, mas não subirá no palanque com tucanos nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro, conforme já havia sido acordado com o próprio Eduardo Campos.

“Estamos apoiando integralmente a decisão que está se consolidando no partido, que é a chapa Marina e Beto Albuquerque. Ele é um quadro importante no partido, é parte da história do partido, um militante da juventude do partido. Era um dos principais organizadores da campanha de Eduardo e por todas essas razões é importante que ele seja o vice na chapa”, disse a senadora baiana.

Ela garantiu que, apesar de vários nomes terem sido cogitados para a vaga de vice, Beto Albuquerque foi aceito “com muita naturalidade” e sem qualquer contestação.

No entanto, por conta da resistência do PHS e do PSL, que alegam não terem sido consultados sobre à composição da chapa e ameaçam sair da coligação, o PSB adiou o anúncio para a noite desta quarta-feira a fim de dispor de mais tempo para fazer as costuras políticas.

Eduardo Machado, presidente do PHS, chegou a propor os nomes de Ovasco Resende e Luciano Bivar, presidentes nacionais do PRP e do PSL, para assumir a vaga de vice, mas chegou atrasado.

Ele achou “deselegante” o PSB ter escolhido a chapa sem consulta aos aliados e quer uma rediscussão sobre o assunto.

O presidente nacional do PPS, deputado federal Roberto Freire (SP), também reuniu a executiva nacional do seu partido em Brasília para debater a substituição de Eduardo Campos por Marina Silva.

Ele não faz nenhuma restrição ao nome de Marina, mas quer que ela cumpra todos os compromissos que foram assumidos por Eduardo Campos e respeite a aliança do PSB com o PSDB no Estado de São Paulo.

Fonte: Blog do Inaldo Sampaio

Comentários

Beto foi escolhido vice por exclusão

Não foi surpresa para o mundo político a escolha do deputado Beto Albuquerque para ser o vice do PSB na chapa encabeçada por Marina Silva. O partido não tem muitos quadros majoritários e entre os que têm esse perfil ele era um dos poucos, senão o único. Cumpre no momento o quarto mandato na Câmara Federal e conhece como a palma da mão o pensamento político de Eduardo Campos porque participou junto com ele não só da construção da candidatura presidencial como da formatação das alianças. Era legítimo e natural que alguns políticos de Pernambuco tenham se esforçado para que a vaga de vice ficasse com um pernambucano. Mas quem? Candidato a vice-presidente tem que ter estatura política para ocupar também a Presidência porque os seres humanos são mortais. Basta atentar para o fato de que nos últimos 62 anos quatro vices chegaram à Presidência da República: Café Filho, João Goulart, José Sarney e Itamar Franco.
O PSB de Pernambuco não tem mais quadros com estatura política para ser presidente da República

A exposição do mito

Nos dois primeiros dias de propaganda eleitoral gratuita, a Frente Popular abusou de falas e imagens do ex-governador Eduardo Campos. O marketing vai avaliar isso com cuidado porque o povo sabe diferenciar a “homenagem” da “exploração política” da figura do mito. Lembrá-lo como a principal liderança do PSB e responsável pela escolha de Paulo Câmara (PSB) para disputar o governo estadual faz parte do “script”, mas além disso pode ser contraproducente.
Futuro – Depois que o deputado Tony Gel (PMDB) passou a compor a Frente Popular, tudo pode acontecer na política de Caruaru daqui a 2 anos, inclusive uma aliança dele com a também deputada Raquel Lyra (PSB) na disputa pela prefeitura. O que facilitará esta aliança é o não apoio de Raquel à reeleição de Wôlney Queiroz (PDT), filho do prefeito José Queiroz (PDT).

Exceções - Dos 14 estados em que Eduardo Campos fez acordos políticos com outras forças, Marina Silva (PSB) só não fará campanha em dois: SP (Geraldo Alckmin) e PR (Beto Richa).

Força – Eduardo Campos não tinha palanque no RJ mas sua substituição por Marina Silva deve melhorar a vida do PSB. Em 2010, ela obteve na “cidade maravilhosa” 31% dos votos válidos.

Aval – Para que o deputado Beto Albuquerque (RS) fosse o vice de Marina Silva, pesou o apoio da ministra Ana Arraes, que externou sua opinião ao secretário-geral do PSB, Carlos Siqueira.

Opções - Se Pedro Simon (PMDB) não quiser substituir Beto Albuquerque (foto) como candidato a senador no Rio Grande do Sul pela aliança PMDB-PSB, as opções do partido são o ex-prefeito de Porto Alegre, José Fogaça e o ex-presidente da Câmara Federal, Ibsen Pinheiro.

É ela – Do deputado federal e presidente nacional do PPS, Roberto Freire (SP), sobre a substituição de Eduardo Campos por Marina Silva na chapa presidencial do PSB: “Antes, ela era coadjuvante. Quem fazia política era Eduardo. Agora, é ela que tem que fazer esse papel”.

Pesquisa – A Frente Popular já encomendou pesquisa para consumo interno a fim de avaliar como ficou o quadro em Pernambuco após a morte de Eduardo Campos. A cúpula acredita que diante da comoção nacional pela morte trágica do ex-governador o candidato Paulo Câmara (PSB) vai encostar rapidamente no opositor, Armando Monteiro (PTB), que até agora lidera as pesquisas.

Comando – A desenvoltura apresentada até agora pelo prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB), para ser o substituto de Eduardo Campos no comando da Frente Popular já desagradou a algumas pessoas da família do ex-governador. O prefeito, pelo cargo que ocupa, é quem tem mais visibilidade nos partidos da coligação. Mas o seu jeito de fazer política é contestado por muitos aliados.

Fonte: Blog do Inaldo Sampaio

Comentários

Dilma diz que o povo saberá diferenciá-la de Marina

A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, não quis comentar o que a entrada de Marina Silva (PSB) na disputa presidencial muda em sua estratégia de campanha, já que as pesquisas mostram a ex-vice de Eduardo Campos em empate técnico com Aécio Neves (PSB) e vencendo a presidente num segundo turno. No entanto, ela disse que o eleitor saberá diferenciá-la de Marina, que também foi ministra do governo do ex-presidente Lula.

Logo depois de visitar uma escola técnica do Senai em Belo Horizonte na condição de presidente, Dilma deu uma entrevista como candidata exaltando avanços no país iniciadas no governo Lula. Ela evitou fazer comentários sobre Marina, mas foi direta quando perguntada sobre como o eleitor a diferenciaria como herdeira do legado de Lula se Marina também foi ministra do ex-presidente.

— O povo saberá fazê-lo.

 

 

Ao ser questionada se passará a mirar em Marina como principal oponente no lugar de Aécio, que venceria no segundo turno segundo as pesquisas, Dilma desconversou:

— Tenho como tradição não comentar pesquisa. Não dou opinião sobre candidato. Tenho um objetivo: aproveitar o momento eleitoral para mostrar o que o meu governo fez e não está bem mostrado —afirmou Dilma, insistindo para que a entrevista se concentrasse no Pronatec, programa de bolsas de estudos para estudantes do ensino médio em escolas técnicas.

Fonte: Blog do Magno Martins

Comentários

Marina liberada: não sobe em palanque ‘desconfortável’

  Após reunião de quase seis horas em Brasília com dirigentes do PSB e da Rede, a provável candidata à Presidência da República Marina Silva disse nesta quarta-feira (20) que vai manter a postura em relação aos acordos regionais feitos por Eduardo Campos e não subirá nos palanques como os de São Paulo, Paraná e Santa Catarina. Marina foi contrária a várias alianças locais e comunicou ao PSB que vai manter sua posição. De acordo com o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), que esteve na reunião, Marina “não vai aonde já não iria”.

“Não há desconforto, tudo o que foi combinado com Eduardo será mantido”, declarou Casagrande.

O PSB vai escalar o deputado Beto Albuquerque (PSB-RS), que deve ser o vice de Marina, para estar ao lado dos aliados nos Estados em que a ex-ministra se recusa a fazer campanha.

“Marina e Beto não vão fazer o que querem, vão fazer o que Brasil exige, precisa e que está no nosso programa”, afirmou Albuquerque.

O PSB superou as divergências internas e selou acordo para lançar Marina Silva à Presidência da República no lugar de Eduardo Campos. Amaral prometeu a Marina que elanão precisará permanecer no partido caso seja eleita.

Fonte: Blog do Magno Martins

Comentários